Intercontinental Journal on Physical Education
ISSN 2675-0333

http://www.ijpe.periodikos.com.br/article/5f87ba8e0e882579783901ab
Intercontinental Journal on Physical Education<br> ISSN 2675-0333
Original Article

Educação física escolar em tempos de pandemia da COVID-19: a participação dos alunos de ensino médio no ensino remoto

Carolina Goulart Coelho, Fátima Vieira da Fonseca Xavier, Adriane Cristina Guimarães Marques

Downloads: 33
Views: 1296

Resumo

O ano de 2020 está sendo marcado pela pandemia do covid-19, esta nova doença que assola o mundo, reivindicando milhões de vidas. O isolamento social como medida sanitária implementada em todo o Brasil fez com que as unidades públicas e privadas de ensino, do ensino fundamental ao superior, adotassem a modalidade de ensino remoto e, para isso, o uso de tecnologias educacionais era necessário e obrigatório. Nesse contexto, este estudo apresenta sua relevância ao refletir sobre as diferenças tecnológicas e desigualdades em nosso país. Este estudo tem como objetivo analisar a participação dos alunos em aulas de educação física remota e identificar o número de alunos que acessam as atividades propostas nas aulas. O estudo tem abordagem mista e foi realizado em uma escola estadual localizada na cidade de São Gonçalo, região metropolitana do Rio de Janeiro.

Palavras-chave

Educação física escolar, ensino remoto, pandemia.

References

Altmann, H; Martins, C. J. (2007). Características do esporte moderno Segundo Elias e Dunning. In: Anais do Simpósio Internacional Processo Civilizador, Campinas.

Avelar, A. C. (2015). A motivação do aluno no contexto escolar. Anuário de produções acadêmico-científicas dos discentes da Faculdade Araguaia. v.3, p. 71-90.

Berbart, V. (2018). “Diversificar para incluir”. Portal Eletrônico Instituto Unibanco. Disponível em: <https://www.institutounibanco.org.br> . Acesso em: 21/09/2020

Brasil. Lei 4.024 de 20 de dezembro de 1961. Fixa as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível em: http://www.2.camara.leg.br/legin/fed/lei/1960-1969/lei-4024-20-dezembro-1961-353722-piblicacaooriginal-1-pl.html. Acesso em 07 ago. 2019.


Brasil. Lei 9394/96: Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.html. Acesso em 9 ago. 2019.

Brasil. (2000). Ministério da Educação/Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: educação física. 2. ed. Rio de Janeiro: DP&A.

Brasil. 2006). Ministério da Educação/Secretaria de Educação Básica. Orientações curriculares para o ensino médio: linguagens, códigos e suas tecnologias, v. 1. Brasília: MEC.

Brasil. (2017). Ministério da Educação/Secretaria de Educação Básica. Base nacional comum curricular. Brasília: MEC.

Brasil. (2017). Secretarias Estaduais de Saúde. Portal Coronavírus. Disponível em: https://covid.saude.gov.br/> . Acesso em 16 de setembro de 2020. curricular. Brasília: MEC.

Carvalho, M. F. N. et al. (2015). A (des)motivação da aprendizagem de alunos de escola pública de ensino fundamental I: quais os fatores envolvidos. Periódico: UFPE, Pernambuco, v. 5.

Coletivo de Autores. (1992). Metodologia do ensino da educação física. São Paulo: Cortez.

Cortella, M. S. (s.d). Acúmulo de responsabilidades: é possível ser feliz durante a pandemia? Notícias. Portal Sindicato dos Especialistas de Educação do Ensino Público de São Paulo, São Paulo. Disponível em: www.sinesp.org.br >. Acesso em 23 de setembro de 2020.

Díaz-Castrillón, F. J.; Toro-Montoya, A. I. (2020). Sars-Cov-2/Covid-19: el virus, la enfermedad y la pandemia. Medicina y Laboratorio, v. 24, n. 3, p. 183-205, 2020.

Durkheim, E. (1978). Educação e sociologia. São Paulo: Melhoramentos.

Intituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua – 2018. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/vizualizacao/livros/liv101705_informativo.pdf. Acesso em 16 setembro 2020.

Machado, A. A. (1995). Importância da motivação para o movimento humano. In Perspectivas interdisciplinares em educação física. São Paulo: Sociedade Brasileira de Desportos e Educação Física.

Minayo, M. C. S. (2013). O desafio do conhecimento. São Paulo: Hucitec.

Murad, M. (2009). Sociologia e educação física: diálogos, linguagens do corpo, esportes. Rio de Janeiro: FGV.

Rio de Janeiro. (2020). Secretaria estadual de Educação. Resolução de n. 5843, de 12 de maio de 2020.[Dispõe sobre medidas de enfrentamento da propagação decorrente do novo coronavírus]. Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro: parte I: Poder Executivo, Rio de Janeiro, ano XLVI, p. 12, 12 mai. 2020.

Rodrigues, P. A. (1991). Motivação e performance. Monografia de final de curso. Rio Claro: UNESP.

Rodrigues, O. R; Gomez, S. N. R. (2020). A pandemia da covid-19: repercussões do ensino remoto na formação médica. Revista Brasileira de Educação Médica.

Santos, S. E. (2006). Desigualdade social e inclusão digital no Brasil. Tese de doutorado. Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

Souza, M. C. (2012). Direito da Educação. In: Nunes Junior, V. S. (coord). Manual de Direitos Difusos. 2 ed. São Paulo: Verbatim.

Vago, T. M.; Linhales, M. A. (2005). Esporte escolar: o direito como fundamento de políticas públicas. Boletim Brasileiro de Esporte Escolar, Brasília.


Submitted date:
09/07/2020

Accepted date:
10/14/2020

5f87ba8e0e882579783901ab ijpe Articles
Links & Downloads

IJPE

Share this page
Page Sections