Intercontinental Journal on Physical Education
ISSN 2675-0333

http://www.ijpe.periodikos.com.br/article/6089c0b2a9539573d23099a2
Intercontinental Journal on Physical Education<br> ISSN 2675-0333
ARTIGO ORIGINAL

Perfil dos participantes do Programa Agita Petrópolis com 50 anos ou mais de idade

Rafael dos Santos Coutinho; Renato Vasconcelos Farjalla

Downloads: 3
Views: 63

Resumo

A promoção da atividade física através de programas direcionados à população parece ser uma ferramenta no combate ao sedentarismo. Dessa forma, a elucidação do perfil dos participantes pode contribuir para futuras intervenções neste meio. Objetivo: Descrever o perfil dos participantes matriculados no programa de incentivo à atividade física Agita Petrópolis com 50 anos ou mais de idade. Método: Estudo descritivo e qualitativo a partir da análise das fichas cadastrais dos participantes do programa. De 771 fichas, 240 foram selecionadas por se enquadrarem de acordo a idade preestabelecida no início do estudo. Resultados: A média de idade foi de 63 anos (± 8,8), as mulheres formaram a maioria (95,7%) e mais da metade (58,8%) dos participantes residem no distrito de Petrópolis. O boca a boca foi o meio mais efetivo na divulgação do programa entre as pessoas. A escolaridade é baixa com uma concentração de alunos apenas com o fundamental completo (48,8%), assim como a utilização de plano de saúde que demonstrou ser pequena (19,2%). Mais de 75% dos alunos utilizam fármacos regularmente, 45,8% possuem hipertensão arterial e 14,6% diabetes. Conclusões: O estudo mostrou que as mulheres são a maioria na composição dos núcleos, dessa forma, faz-se necessário pensar em alternativas para aproximar os homens. Os núcleos estão concentrados no distrito de Petrópolis. Expandir e/ou distribuir os núcleos seria uma logística adequada para atingir uma parcela maior da população. Grande parte dos alunos possuem apenas o ensino fundamental completo e não possuem plano de saúde, reafirmando a necessidade de programas nesta vertente e reforçando sua continuidade. 3/4 utilizam algum tipo de medicamento e a Hipertensão Arterial e Diabetes foram as doenças mais comuns relatadas, indicando a importância de um acompanhamento multidisciplinar dos alunos a fim de monitorar parâmetros pertinentes à saúde e ao controle das doenças crônicas identificadas.

Palavras-chave

Exercício Físico; Doença Crônica; Política Pública; Qualidade de Vida

References

Association, A. H. (2018). How much physical activity do you need?

 

Becker, L. A., Gonçalves, P. B., & Reis, R. S. (2016). Programas de promoção da atividade física no Sistema Único de Saúde brasileiro: revisão sistemática. Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde.

 

Becker, L. A., Gonçalves, P. B., & Reis, R. S. (2017). Programas de promoção da atividade física no Sistema Único de Saúde brasileiro: revisão sistemática. Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde, 30(3).

 

Beenackers, M. A., Kamphuis, C. B., Giskes, K., Brug, J., Kunst, A., Burdorf, A., & Lenthe, F. J. (2012). Socioeconomic inequalities in occupational, leisure-time, and transport related physical activity among European adults: a systematic review. International journal of behavioral nutrition and physical activity, 9(1).

 

Bernardo, P. A. (s.d.). A gestão municipal do desporto e o impacto da promoção da atividade física para idosos. Dissertação de Mestrado. Universidade de Évora.

 

Bielemann, R. M., Silva, B. G., Coll, C. d., Xavier, M. O., & Silva, S. G. (2015). Impacto da inatividade física e custos de hospitalização por doenças crônicas. Revista de Saúde Pública, 49, 79.

 

Bueno, D. R., Marucci, M. d., & Codogno, J. S. (s.d.). Os custos da inatividade física no mundo: estudo de revisão. Ciência & saúde coletiva, 21, p. 1001-1010.

 

Costa, F. R., Rodrigues, F. M., Prudente, C. O., & Souza, I. F. (2018). Qualidade de vida de idosos participantes e não participantes de programas públicos de exercícios físicos. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 21.

 

Fernandes, A. P., Andrade, A. C., Costa, D. A., Dias, M. A., Malta, D. C., & Caiaffa, W. T. (2017). Programa Academias da Saúde e a promoção da atividade física na cidade: a experiência de Belo Horizonte, MG, Brasil. Ciência e Saúde Coletiva.

 

Fernandes, A. P., Andrade, A. C., Ramos, C. G., Friche, A. A., Dias, M. A., Xavier, C. C., . . . Caiaffa, W. T. (2015). Atividade física de lazer no território das Academias da Cidade, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil: o efeito da presença de um programa de promoção da saúde na comunidade. Cad de Saúde Pública.

 

Gil, A. C. (2008). Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. Atlas.

 

Gobbi, S., Menezes, E., & Tanaka, K. (2007). PROGRAMAS SUPERVISIONADOS DE ATIVIDADES FÍSICAS ESTÃO ASSOCIADOS A MAIOR NÍVEL DE ATIVIDADE FÍSICA COMPARADOS COM NÃO SUPERVISIONADOS. Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde.

 

Guthold, R., Stevens, G., Riley, L., & Bull, F. C. (2018). Worldwide trends in insufficient physical activity from 2001 to 2016: a pooled analysis of 358 population-based surveys with 1·9 million participants. The Lancet.

 

Hallal, P. C., Tenório, M. C., Tassitano, R. M., Reis, R. S., Carvalho, Y. M., Cruz, D. K., . . . Malta, D. C. (2010). Avaliação do programa de promoção da atividade física Academia da Cidade de Recife, Pernambuco, Brasil: percepções de usuários e não-usuários. Caderno de Saúde Pública.

 

IBGE. (2020). ESTIMATIVAS DA POPULAÇÃO RESIDENTE NO BRASIL E UNIDADES DA FEDERAÇÃO COM DATA DE REFERÊNCIA EM 1º DE JULHO DE 2020.

 

Lima-Costa, M. F., Andrade, F. B., Souza, P. R., Neri, A. L., Duarte, Y. A., Castro-Costa, E., & Oliveira, C. (2017). The Brazilian Longitudinal Study of Aging (ELSI-Brazil): Objectives and Design. American Journal of Epidemiology.

 

Melo, L. A., & Lima, K. C. (2020). Fatores associados às multimorbidades mais frequentes em idosos brasileiros. Ciencia e Saúde Coletiva.

 

Menezes, T. N., Oliveira, E. C., Fischer, M. A., & Esteves, G. H. (2016). Prevalência e controle da hipertensão arterial em idosos: um estudo populacional. Revista Portuguesa de Saúde Pública.

 

Miller, T., & Castanheira, H. C. (2013). The fiscal impact of population aging in Brazil: 2005-2050. Revista Brasileira de Estudos de População.

 

Miranda, G. M., Mendes, A. d., & Silva, A. A. (2016). O envelhecimento populacional brasileiro: desafios e consequências sociais atuais e futuras. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia.

 

Nakamura, P. M., Papini, C., & Teixeira, I. (2015). Effect on Physical Fitness of a 10-Year Physical Activity Intervention in Primary Health Care Settings. Journal of Physical Activity & Health.

 

Nunes, B. P., Batista, S. R., Andrade, F. B., Junior, P. R., Lima-Costa, M. F., & Facchini, L. A. (2018). Multimorbidade em indivíduos com 50 anos ou mais de idade: ELSI-Brasil. Revista de Saúde Pública.

 

Oliveira-Campos, M., Rodrigues-Neto, J. F., Silveira, M. F., Neves, D. M., Vilhena, J. M., Oliveira, J. F., & Magalhães, J. C. (2013). Impacto dos fatores de risco para doenças crônicas não transmissíveis na qualidade de vida. Ciência e Saúde Coletiva.

 

Pauli, J. R., Souza, L. S., Zago, A. S., & Gobbi, S. (2009). Influência de 12 anos de prática de atividade física regular em programa supervisionado para idosos. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano.

 

Peixoto, S. V., Mambrini, J. V., Firmo, J. O., Filho, A. I., Junior, P. R., Andrade, F., & Lima-Costa, M. F. (2018). Prática de atividade física entre adultos mais velhos: resultados do ELSI-Brasil. Revista de Saúde Pública.

 

Prefeitura de Petrópolis. (2017). Plano Plurianual 2018-2021.

Silveira, V., Guerra, J. M., Santos, F. E., & Rambo, L. M. (2017). PERFIL DOS PARTICIPANTES DO PROJETO "HIDROGINÁSTICA PARA A TERCEIRA IDADE, HIPERTENSOS E DIABÉTICOS". SALÃO INTERNACIONAL DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO - SIEPE.

 

Souza, A. L., Batista, S. R., Souza, A. C., Pacheco, J. A., Vitorino, P. d., & Pagotto, V. (2019). Prevalência, Tratamento e Controle da Hipertensão Arterial em Idosos de uma Capital Brasileira. Arquivos Brasileiros de Cardiologia.

 

Souza, M. d., Pelegrini, A., Silva, M. C., Machado, Z., & Guimarães, A. C. (2016). FATORES ASSOCIADOS À PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA EM HOMENS DE MEIA-IDADE. Revista Brasileira de Medicina do Esporte.

 

Thorton, J. S., Frémont, P., Khan, K., Poirier, P., Fowles, J., Wells, G. D., & Frankovich, R. (2016). Physical activity prescription: a critical opportunity to address a modifiable risk factor for the prevention and management of chronic disease: a position statement by the Canadian Academy of Sport and Exercise Medicine.


Submitted date:
03/17/2021

Accepted date:
04/27/2021

6089c0b2a9539573d23099a2 ijpe Articles
Links & Downloads

IJPE

Share this page
Page Sections